Inovação

O que é tendência em empresas inovadoras?

tendência-empresas-inovadoras

Quais são as principais tendências que estão acontecendo nas empresas inovadoras que vemos no mundo? Saiba algumas delas neste post da Zucchi.

Você lembra ou tem ideia de como era o mundo corporativo há 20, 25 anos? Excesso de papéis, controles de pontos, chefias fechadas, pouca informatização…

Consegue perceber como tudo vem mudando? E não é só isso: tudo vem mudando numa velocidade muito mais acelerada!

De fato, é impossível parar no tempo e querer que os resultados sejam bons. Por isso, as empresas têm buscado, cada vez mais, inovar. 

Essa atitude não é mais uma questão de somente querer estar à frente. É uma questão de sobrevivência.

Não estamos falando, aqui, exclusivamente de empresas que atuam com tecnologia. Afinal, inovação é um conceito muito mais amplo.

Em um contexto tão competitivo, processos, modelos de negócios, atendimento, produtos e serviços precisam ser inovadores.

Mas você e sua equipe já pensaram como atuam as empresas inovadoras? Quais as tendências elas observam e como tomam suas decisões?

Esse texto é justamente sobre isso. Abordaremos ao que as empresas inovadoras estão atentas e como isso faz diferença nas decisões em curto, médio e longo prazo.

1. Experiência do usuário

A sigla UX está, literalmente, por todo lado. Ela significa User Experience (do inglês, experiência do usuário) e é a busca pela melhoria de como as pessoas se sentem ao tomar ações em plataformas online.

Os canais online precisam estar preparados para que os usuários completem, com eficiência e facilidade o que desejam.

O foco é o usuário. E, para atendê-lo, experiências personalizadas podem ser o diferencial para a satisfação do cliente. 

Para tanto, (bons) profissionais de UX estão sendo muito procurados. Afinal, a experiência do usuário pode acabar definindo o sucesso ou o fracasso de um projeto.

2. Home Office

O trabalho remoto é mais uma das possibilidades criadas com o desenvolvimento tecnológico.

E ele gera benefícios que antes não eram compreendidos no mundo corporativos. 

Ao contrário do que se possa imaginar, a produtividade dos colaboradores, em geral, cresce quando estão em home office.

A motivação dos funcionários é maior e, com isso, o trabalho torna-se mais leve, gerando resultados mais eficientes.

Não é mais o tempo de relógio trabalhado o que conta para a empresa: é o retorno em produtividade, em resolução de problemas, em novas ideias. 

Além da melhoria de resultados por parte dos colaboradores, a organização ganha em um segundo ponto. O home office permite uma redução de custos que pode ser considerável, dependendo do modelo adotado.

3. Gestão descentralizada

Deixar os talentos aflorarem naturalmente talvez seja o principal ganho das empresas que optam pela gestão descentralizada.

Quando uma organização resolve ter uma gestão descentralizada, os colaboradores têm consciência de que podem (e devem!) tomar decisões.

Não há uma dependência exacerbada de uma chefia para uma deliberação. Com autonomia e proatividade, a empresa passa a ser mais ágil.

A necessidade e a possibilidade dos funcionários serem proativos geram duas ótimas consequências:

  • Senso de maior responsabilidade, já que eles têm a confiança da organização para a tomada de decisões;
  • Expansão da criatividade, uma vez que para a resolução de problemas é necessário desenvolver e intensificar essa habilidade.

4. Realidade virtual

Aqui, novamente, a tecnologia torna-se uma forte aliada. O que antes era utilizado basicamente para games deverá ser uma grande oportunidade para empresas.

As simulações de ambientes, criadas com o uso de tecnologias, levam a pessoa a imergir em uma experiência virtual.

Nas vendas, a Realidade Virtual pode ser bastante eficiente. A ideia é que antes mesmo de efetuar a compra, o cliente possa “testar” seu produto ou serviço.

Não é só nas vendas que a Realidade Virtual pode contribuir na empresa. No atendimento ao cliente e internamente – como para treinamentos – a Realidade Virtual também pode ser uma aliada importante.

5. Big data

Nunca foi tão fácil buscar dados reais de tanta gente. Estar conectado é uma realidade para muitos consumidores, atualmente.

Como deixamos informações na internet, há uma imensidão de dados online, além de uma capacidade de leitura e análise muito ágil. Isso é o chamado Big Data.

A partir da seleção e análise de dados, os comportamentos de compra dos consumidores ficam mais claros.

E, a partir do entendimento desses comportamentos, a tomada de decisões pode ser muito mais assertiva. 

Além disso, propostas de inovações são feitas com informações reais, tornando os riscos de erros bem menores.

Obviamente, a tecnologia por si só não resolve. É preciso que haja um olhar humano bastante atento para utilizar essas informações da melhor maneira possível.

6. Cultura de Startup

Menos rigidez nos padrões corporativos, estrutura física diferenciada e busca constante pela inovação (aprendendo com os erros) são algumas das características das startups.

Mas você não precisa criar uma para implementar essas ideias. É possível adaptar itens da Cultura de Startups na maioria dos negócios já existentes.

É claro que isso exigirá a aplicação de certa energia, tanto dos gestores quanto de toda a equipe. Entretanto, pode dar um novo rumo à sua empresa.

Essas – e várias outras – tendências vêm sendo uma constante no trabalho da Zucchi.

Fizemos um material especial falando a respeito das tendências em empresas inovadoras. Baixe-o e saiba mais sobre elas.

E como trabalhamos para contribuir com empresas para serem mais inovadoras, esperamos seu contato.

Fale conosco, marque um café e saiba como podemos ajudá-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *