Gestão

5 modelos de negócios existentes

capa-modelos-de-negócios

Já falamos aqui no blog da Zucchi sobre como definir o seu modelo de negócios e a importância de fazer isso. Os modelos de negócios são a explicação de como sua empresa entrega valor.

São os modelos de negócios que permitem que as empresas persigam os objetivos certos, sem perder o foco.

No entanto, ao pesquisar sobre o assunto, você verá que existem diversos modelos de negócio disponíveis. E daí pode surgir a dúvida: qual é o mais rentável?

Não existe resposta objetiva para essa pergunta, pois um modelo de negócios ser rentável ou não depende do que a sua empresa oferece. Mas um bom primeiro passo é conhecer os principais deles.

Por isso, neste artigo, trazemos os 5 principais modelos de negócios que existem no mercado atualmente. Confira!

1. Franquia

Os modelos de negócios das franquias são uns dos mais conhecidos e tradicionais. Ele é um modelo de distribuir e comercializar produtos e serviços.

Um exemplo bastante usado nas franquias atuais é o Business Format Franchising, ou, em português, franquia de negócio formato. 

Funciona assim: o franqueador detém a marca e usa as franquias para expandir sua empresa. Ele deve oferecer treinamentos para os franqueados para manter a qualidade dos negócios durante a expansão.

Ele recebe ao conceder os direitos e repassar os seus conhecimentos. O franqueado, por sua vez, pode usar a marca e explorá-la comercialmente, devendo manter o padrão de qualidade exigido pelo franqueador.

São muitas as franquias famosas, e certamente você já consumiu os produtos ou serviços de algumas delas. Alguns exemplos são O Boticário, McDonald’s e Chilli Beans.

2. Software as a Service (SaaS) 

Outro modelo de negócios que tem ganhado destaque nos últimos anos é o Software as a Service (SaaS).

Nesse modelo, um software não é vendido com uma licença vitalícia, como se fosse um produto, mas sim como um serviço em que o cliente para por mensalidades.

A ferramenta fica armazenada na nuvem, e pode ser acessada de diversos dispositivos.

A empresa distribui, atualiza e faz a manutenção do software, e, em alguns casos, também oferece atendimento e suporte para o usuário aproveitar bem a ferramenta.

A vantagem, para a empresa, é o que se chama de receita recorrente. Como a relação é combinada para ser de longo prazo, o negócio consegue ter previsibilidade sobre o que vai receber nos próximos meses.

São muitas as soluções de SaaS no mercado atualmente: alguns exemplos são Dropbox (a versão paga) e as plataformas de marketing digital Hubspot e RD Station.

3. Assinatura

Outro modelo bastante comum atualmente é o de assinatura. Ele lembra o SaaS pela recorrência, mas nesse caso não são oferecidos softwares, e sim outros serviços.

Hoje, tem assinatura de tudo: de vinho, cerveja, maquiagens, produtos saudáveis e até de meias. A ideia é cobrar uma mensalidade do usuário, oferecendo comodidade em troca.

O modelo de assinatura se baseia também no avanço da internet, que permite a existência de serviços de streaming, por exemplo.

Sem a tecnologia, era impossível disponibilizar filmes e séries com imagem de qualidade que carregassem rapidamente. Mas hoje plataformas como Netflix e Amazon Prime já são uma realidade. Só no Brasil, o primeiro já acumula 27 milhões de assinantes, por exemplo.

Dentro do modelo de assinaturas, existe ainda uma variação, o freemium, ofertado por empresas que têm versão gratuita e paga dos seus serviços.

A ideia é atrair os usuários por meio da versão grátis, que pode ter menos funcionalidades e anúncios, por exemplo, estimulando-os a assinarem a versão premium. É o que o Spotify faz, por exemplo.

Para a empresa, o modelo de assinatura garante, mais uma vez, previsibilidade. Mas, para evitar uma taxa de cancelamento alta, a empresa deve se fazer realmente útil na vida do consumidor. 

Alguns exemplos, além dos citados no texto, são Wine, Beautybox e SoxBox.

4. Isca e anzol

O modelo de negócios chamado de isca e anzol (bait and hook, em inglês) consiste em oferecer produtos interdependentes, mas com preços bastante diferentes.

Primeiro o produto principal é vendido com baixa margem de lucro — é a isca. Depois, os produtos secundários, necessários para continuar usando o primeiro, são vendidos com alta margem de lucro — o anzol.

O exemplo mais bem-sucedido é o da Nespresso, que vende máquinas relativamente baratas, mas cápsulas caras. Outros negócios que funcionam neste modelo são Gillette e as impressoras da HP.

5. Economia colaborativa

Certamente você já ouviu falar em economia colaborativa, ou pelo menos já usou os serviços de uma empresa desse tipo nos últimos anos.

Os negócios desse tipo fazem uma ponte entre quem oferece um serviço e quem deseja utilizá-lo. O exemplo clássico é a Uber, que conecta quem precisa de um carro com quem possui um e quer ganhar dinheiro com ele.

O trabalho da empresa, nesse caso, é garantir que ambos passageiro e motorista estejam seguros.

Há quem defenda e quem critique, mas o fato é que a economia colaborativa transformou diversas atividades do cotidiano, como hospedar-se durante as férias, pedir um carro na cidade ou alugar um imóvel.

Alguns exemplos, além do Uber, são AirBnB, 99 e QuintoAndar.

Encontrando um modelo de negócios ideal

Para encontrar o modelo ideal para a sua empresa, é importante investir na etapa de validação de negócios.

Para isso, você pode contar com a ajuda dos especialistas da Zucchi, que desenvolveu o Ciclo de Inovação, uma ferramenta completa para a modelagem de negócios e modelos de negócios, baseando atividades em pesquisas para tornar os negócios mais inovadores.

Para saber mais, entre em contato conosco que teremos o maior prazer em ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *